/ gentrificada

2017

Projeto realizado junto com Ж
  

“A arte dos pobres apavora os generais”
Bruno Zevi

Sr. Biu era o último morador/resistente da Ilha de Tatuoca em Pernambuco. Território hoje parte do território controlado pelo Porto Suape, empresa público-privada. O mesmo controla a região e através de segurança privada que expulsa e realiza remoções. Seu Biu fabricava a anos essas mesas, união da arte com a vida, em um cotidiano que consistia na coleta de marisco, caranguejo, e quando o manguezal dava, “madeira vencida” com as que fabricava sua arte.


Para saber mais do Seu Biu:

Filme (link) realizado pelos estudantes do projeto Fazer o Mundo Fazendo Vídeo em Setembro 2015.

Em suas palavras: “Eu digo eu faço isso daí porque é uma arte da cultura… o mais quanto você aprende mais tem história. Por que é difícil você encontrar uma cultura dessas aqui em Pernambuco, só é de barro. Essa madeira aqui é muito vencida… eu ia pra Suape olhava ela todinha, verificava ela. Ai foi quando eu fui e tirei”

Para saber mais sobre a remoção do Seu Biu (link)

// texto en español ↧ //



Projeto selecionado dentro da  “Convocatória para um Mobiliário Brasileiro”  do artista Jonathas de Andrade.

Link para o Museu de Arte de São Paulo: MASP  //  São Paulo, SP-Brasil, Janeiro 2017.



Proyecto realizado junto con Ж

“El arte de los pobres aterroriza a los generales”
Bruno Zevi

Sr. Biu era el último habitante/resistente en la Isla de Tatuoca en Pernambuco. Actualmente este territorio forma parte del territorio controlado por el Puerto de Suape, empresa público-privada. Este controla la región y a través de guardias de seguridad privada expulsa y realiza remociones. El Sr. Biu fabricaba hace años esas mesas, unión del arte con la vida, su cotidiano consistía en colectar mariscos, cangrejos, y cuando el manglar ofrecía, “madera caduca” con las que fabricaba su arte.


Para saber más del Sr. Biu:

Película (link) realizada por los estudiantes del proyecto Fazer o Mundo Fazendo Vídeo en Septiembre del 2015.

En sus palabras: “Yo digo lo que hago eso de ahí es un arte de la cultura… cuanto más tu aprendes más historia tiene. Porque es difícil que uno encuentre una cultura de estas como aquí en Pernambuco, que solo es arte en barro. Esta madera aquí está muy caduca… yo iba para Suape, la observaba toda, la verificaba. Ahí fue cuando yo fui y la saqué.”

Para saber más sobre la remoción del Sr. Biu (link)